mar 10 2019

Célula de Monitorização Eleitoral – Comunicado de Imprensa Nº 1, 10 de março de 2019

No âmbito do acompanhamento das eleições legislativas de 10 de março de 2019, a Célula de Monitorização Eleitoral divulgou a sua constatação das ocorrências durante a abertura das assembleias de voto.

Aceda ao comunicado integral clicando aqui.

mar 10 2019

Declaração de entrada da Célula de Monitorização Eleitoral, 09 de março de 2019

A Célula de Monitorização Eleitoral, constituída por diferentes organizações da sociedade civil – GOSCE, FADPD, PPM, REMPSECAO e WANEP – com o apoio dos seus parceiros de implementação (Humanité & Inclusion) e parceiros financiadores (UE e ONU Mulheres – através do PBF), divulga a sua declaração de entrada para o processo eleitoral das legislativas de 2019.

Aceda ao comunicado integral clicando aqui.

mar 09 2019

Distritos eleitorais do SAB são tornados acessíveis

Neste sábado, 09 de março de 2019, pelas 09h, a equipa do projeto de “Participação Cívica e Política para Todos” fez a entrega solene dos diferentes meios de acessibilidade produzidos no quadro das suas atividades à presidência da Comissão Regional de Eleições (CRE) do setor autónomo de Bissau (SAB). 

O projeto-pioneiro de eleições inclusivas “Participação Cívica e Política para Todos”, é implementado pela Humanité & Inclusion (HI), em parceria com a Federação das Associações de Defesa e Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Guiné-Bissau (FADPD-GB) e o Grupo das Organizações da Sociedade Civil para as Eleições (GOSCE) com o financiamento da União Europeia. Tem por objetivo assegurar a participação de grupos vulneráveis no processo eleitoral em curso através da sensibilização de responsáveis pelos serviços eleitorais e colocação de meios de acessibilidade (rampas de acessibilidade, cabines de voto e bases de urna).

Este projeto faz ainda a monitorização doméstica das eleições legislativas, em conjunto com outros grupos da sociedade civil, para garantir a implementação de boas práticas em processos eleitorais inclusivos.

Os produtos de acessibilidade a serem doados à CRE de Bissau – rampas, cabines de voto acessíveis e bases de urna – destinam-se às doze (12) assembleias de voto do setor autónomo de Bissau selecionadas para a implementação  de boas práticas de acessibilidade em processos eleitorais inclusivos no dia das eleições legislativas, 10 de março de 2019.

As assembleias de voto a serem equipadas com os produtos entregues são as seguintes:

No círculo eleitoral (CE) 24 – distrito 09, Escola Che Guevara e distrito 22, UDIB.

No CE 25 – distrito 06, casa de Agostinho Lopes e distrito 55, Escola Gudofredo Vermão de Sousa.

No CE 26 – distrito 11, Estrada de Bôr,  Escola 5 de Julho e no distrito 27, bairro Bandim, Escola Martinho.

CE 27 – no distrito 05, bairro Amedalai, casa de Colóló e distrito 52, bairro d´Ajuda 1ª fase, Clube d’Ajuda.

No CE 28 – distrito 14, bairro de Belém, Escola Cambanco e distrito 33 no bairro de Quelélé, Bar Coimbra.

CE 29 – distrito 42,       bairro Plack, Escola Plack 2 e distrito 106 no bairro Militar, Escola Jorge Ampa.

mar 08 2019

Organizações da sociedade civil unidas na monitorização eleitoral

Bissau, 7 de março de 2019

Nesta sexta-feira, 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, às 9h30 no Hotel Azalai, um grupo de organizações guineenses lança a plataforma de monitorização pela sociedade civil das eleições legislativas de 2019 que trabalhará entre os dias 9 e 11 de março numa “sala de monitorização” conjunta localizada no mesmo hotel.

Esta plataforma tem o objetivo de assegurar e fortalecer a qualidade da participação da sociedade civil no processo eleitoral na Guiné-Bissau através do acompanhamento eleitoral, articulação entre atores, coleta e partilha de informações e ações de sensibilização junto ao público eleitor.

É constituída pelas equipas de trabalho da Plataforma Política das Mulheres (PPM) e pela Rede das Mulheres para a  Paz e Segurança no Espaço da CEDEAO (REMPSECAO-GB), focadas em assuntos ligados ao género e à promoção da participação das mulheres e jovens nas eleições; também pelo Grupo de Organizações da Sociedade Civil (GOSCE) e pela Rede Oeste Africana para Construção da Paz (WANEP), que tratam questões de participação do público e incidentes de violência; ainda pela Federação de Associações para Defesa e Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência (FADPD) apoiada pela Humanité & Inclusion (HI), que se dedicam a assuntos ligados à inclusão de pessoas com deficiência e outros grupos vulneráveis. Os trabalhos acontecem com o financiamento da União Europeia (EU) e da ONU Mulheres através do Fundo das Nações Unidas para a Consolidação da Paz (PBF).

A partir da sala de monitorização desta plataforma, as equipas de trabalho presentes partilharão diariamente informações referentes ao processo eleitoral, recolhidas graças a 420 monitores distribuídos por todo o território nacional. Espera-se que o esforço conjunto das várias organizações resulte em eleições seguras, transparentes e inclusivas e que no final do processo haja documentação e divulgação de toda a experiência gerada.

Aceda ao comunicado integral e à programação das conferências de imprensa, clicando aqui.

mar 01 2019

A família da conservação da biodiversidade na Guiné-Bissau está de luto

A Tiniguena anuncia que faleceu ontem, dia 28 de fevereiro de 2019, vítima de doença prolongada, Alfredo Simão da Silva, presidente do Conselho de Administração da Tiniguena.  Alfredo era também o atual chefe do programa da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) na Guiné-Bissau.

Alfredo da Silva presidia o Conselho de Administração da Tiniguena desde março de 2006, quando foi eleito para o cargo pela 6ª Assembleia Geral da Tiniguena. No seu percurso profissional, são de ressalvar a sua posição como diretor do Gabinete de Planificação Costeira (1999 a 2005), depois como diretor do Instituto da Biodiversidade e Áreas Protegidas – IBAP – de 2005 a 2018. Nesse ano, assumiu as suas funções na UICN.

Alfredo foi um geógrafo dedicado à conservação do património natural e territórios ameaçados. Pioneiro da planificação costeira na Guiné-Bissau e da criação do IBAP, deixa às futuras gerações um legado de trabalho pela proteção da biodiversidade no país. A sua perda será sentida pela Tiniguena e por todos os que, tal como ele, velam pela preservação dos nossos recursos e o bem-estar das nossas comunidades.

Posts mais antigos «